terça-feira, 20 de março de 2012

Tudo a seu tempo e no meu tempo

Tenho brigado com o tempo e me sentindo cansada pelas cobranças que ele tem me trazido.
Tenho arrumado um zilhão de atividades e não respeitado o meu próprio tempo.
Sou difícil. Difícil mesmo. Pode perguntar para quem vive comigo.
E nessa dificuldade toda, as vezes sou inacessível.
Mas, como todo mundo tem, eu também tenho, algumas pessoas que entram na minha alma. Falam com cuidado e cautela,  e me fazem ouvir as coisas que não gostaria, mas sinto que são necessárias, e não as repudio.
Desde que mamãe ficou doente, fiz muita coisa, corri muito, afundei a cara em tudo o que encontrei, para não ter tempo de raciocinar.
Quando outros problemas se somatizaram a dor da perda, mais uma vez, abracei o mundo, enfiei a cara no mundão, e  fiquei sem ar.
Graças aos que entram em mim, recebi um livro, " As dores da Alma", que me disseram e estão me fazendo compreender que muitas coisas precisam ser organizadas dentro de mim.
É duro ficar parada, sem pensar em nada, ou pensar nas memorias que ainda me causam tristeza, como a fase do hospital.
 Mas, entendi que ,preciso pensar e sentir tudo isso, senão não vai passar.
Preciso ficar parada, para pensar e sentir, tudo o que está acontecendo ao meu redor.
 Mesmo que me cause uma dor imensa, mas vai ser só por um tempo, porque as estou enfrentando de peito aberto.
Preciso parar de fugir...lembrei-me nesse momento o que mamãe me disse:

"Se está no meio do furação, ao invés de sair correndo, sente-se.
Dessa forma vai poder ter um ponto de apoio e ver melhor o que está acontecendo ao seu redor.
Se não ver, não tem problema, uma hora o vendaval vai passar, e você vai conseguir levantar".

Apartir de agora, sem pressa.
Já eliminei todas as muitas atividades  e a tal falta de tempo.
Já vou começar a ver as coisas por um outro prisma.
Por hora, estou me dando um tempo.

7 comentários:

Balellas disse...

É preciso realmente se dar um tempo, viver tudo que há para viver.
E depois, se equilibrando aos poucos.
Adorei o seu texto e torço para que tudo fique bem, até lá, que Deus te cuide nas palmas de suas mãos.
Abraços
Lella
www.ballelas.blogspot.com

Brechique da Dodoca disse...

Querida menina (perdoe-me se cham-a´la assim não é legal, se for, avisa que mudo),
Dor não pode ser pulada, se não vira complicação futura. Vc faz bem em dar um tempo agora, como fez bem em querer abraçar o mundo para sobreviver à dor. Tudo faz parte do luto. Todos esses processos.
Vc agora entra em outra fase: olhar de frente e, não se preocupe, vc vai se sair muito bem, como até agora. Porque, além de ser bem sabidinha, vc tem quem a ama do seu lado e teve uma mãe sábia: aquelas palavras sobre o furacão, vou ter que anotar e passar adiante!
"...ando devagar porque já tive pressa...", ande devagar que Deua a abençoa e acompanha,
bjssssssssssssss, quérida!

angela disse...

estarei sempre aqui, se voce precisar. bj enorme.

Lúcia Soares disse...

Cucla, também nunca me esqueci de uma frase que uma tia disse, a respeito da morte: "Os primeiros dias doem muito, mas com o passar do tempo, dói mais ainda, pois a gente sente a dor, misturada com a saudade, a impotência diante da morte. Os primeiros 6 meses são muito difíceis", algo mais ou menos assim, não com essas palavras exatamente.
Então, a passagem de sua querida mãe ainda é muito recente, em alguns momentos pode parecer que "foi ontem" e em outros parece que há anos.
Ainda está no tempo de você parar e encarar, chorar muito, sentir-se infeliz (mesmo que não seja isso que ela queira, mesmo que esteja cercada dos que ama, mas a falta dela é única).
Não se cobre, é dor demais mesmo, mas você a curtiu muito, foram companheiras de risadas, de alegrias. Aposto que lembrar dela forte e saudável dói muito menos do que lembrar dela sofrendo na cama.
Sua tristeza é normal, seu choro é normal, esse momento é só seu.
Daqui uns tempos ela será uma doce lembrança e quando vierem as lágrimas, virão misturadas com saudade e alegria, não mais com dor.
Beijo e conta comigo, se precisar!
luciahsf@oi.com.br

Fernanda disse...

Realmente temos que encontrar tempo para cuidar de nós mesmos.

Precisamos sentir, viver, tudo ao seu tempo, tudo intensamente.

Você sabe como me achar/chamar, e ultimamente, nem chamar esta precisando..rsrsrs...

Bjs

Clau disse...

Oi Cucla :)
Permita-se gastar essa dor...
E dê a vc,o tempo que precisar.
Cada pessoa sente o luto de uma maneira.
É um momento somente seu.
Daqui há pouco,essa saudade insuportável,vai doer menos.
Bjs!

Artes da Jane disse...

Oi amiga!!!
Estava passeando pela internet e encontrei teu blog, que me encantou!!
Sou do blogueiras unidas, n° 683,vem me visitar também, meu blog está cheio de graficos e moldes e em breve estou preparando um sorteio de mimos...ah,seja min
ha seguidora e coloque meu BLOG em sua lista de blog, assim aumentam tuas chances na hora do sorteio!!
Te aguardo aqui.. bjus
JANE
http://artesdajanemarcia.blogspot.com
http://www.facebook.com/artesdajane
https://twitter.com/#!/jmarcia8