sexta-feira, 8 de abril de 2011

À saúde - SUS

Nessa semana eu tive a oportunidade de conhecer um sistema de atendimento à saúde que não conhecia, o SUS.
Não que não o conhecia, apenas não havia sido usuária do sistema.
E foi por intermédio da  necessidade de precisamos buscamos seu atendimento para um dos nossos, que chegamos até ele.
Tenho o privilegio de ter convênio médico, mas tenho a sensação de que cada vez que estou numa consulta, eles não vêem a hora de eu sair para mais um $$$$ entrar. E, contudo isso, já tem bastante tempo que ando chateada com aqueles que nos deveriam ser nossa clarabóia num  momento de enfermidade.
Se no particular é assim, eu imaginei que no SUS seria de mal a pior.
Surpreendi-me.
Nessa consulta no SUS senti, percebi e presenciei que ainda existem médicos para serem médicos de verdade.
O Complexo Hospitalar de Sorocaba atende muita gente da região, diga-se de passagem, uma região demarcada de uma forma meio estranha, mas vamos lá.
Imaginava eu que eram 27 cidades atendidas, quando pasmem, pois eu pasmei,  o médico disse que são mais de 48 cidades que contam com o atendimento.
Isso mesmo mais de 48 cidades.
Logo, passei a achar que o atendimento foi melhor ainda.
Como todo hospital público, muita gente sempre aguarda para ser atendida, e às vezes esse tempo se amplia ainda mais devido à  falta de instrução que a maioria tem.
Não foi o nosso caso. Felizmente a instrução e a informação fizeram a diferença.
Chegamos um pouco antes do horário marcado, e conforme nos informamos, conseguimos chegar ao espaço destinado aos que aguardavam consulta na mesma especialidade médica.
Fiquei  realmente admirada, o ambiente é extremamente limpo, as filas como sempre muito democráticas e os caminhos a seguir previamente pautados.
Não mais que 20 minutos depois de termos chegado, já havíamos conseguido entregar a documentação necessária para o atendimento.
Apartir daí,  realmente sentimos as implicações do Sistema Único de Saúde, a demora para sermos atendidas.
Mas com certeza, o fato de estarmos devidamente acomodadas, fez com que a demora fosse menos importante devido nossas muitas conversas.
Aproximadamente 4 horas depois, fomos atendidas.
O médico veio pessoalmente até a porta chamar-nos, com um sorriso no rosto e um aperto de mão caloroso.
Nada dos requintes dos consultórios particulares, mas com toda a certeza, com a moldura de amor que a profissão exige.
Prontamente nos deixou muito confortável.
Ouviu-nos, tirou todas as dúvidas sem pressa, mantendo sempre o sorriso no rosto.
Fez exames detalhados, pediu novos exames, e pessoalmente agendou nosso retorno.
Você acredita que tudo isso aconteceu no SUS?
Graças as Deus aconteceu sim.
Estamos muito mais confiantes depois do Dr. Lúcio. Estamos com muito mais forças para lutar pelo que quer que seja.
E conseguimos tudo isso no Sistema Único de Saúde.



8 comentários:

welze disse...

foi realmente uma tarde demais da conta de boa e profícua. sai de lá sem nunhuma dúvida sequer. Ao contrário, mais esclarecida, mais centrada e muito mais confiante ainda. Que Deus habite sempre os corações daqueles médicos e aquele centro de tratamentos. Uma coisa só eu tenho certeza: acompanhante. Infelizmente para todos que estavam lá, apesar de perceber que ninguém estava só, não tinham uma cucla ao lado. Não a minha cucla. Isso fez mais que toda a diferença. Te amo. sempre.

Anônimo disse...

Oi querida!
Obrigada pelas palavras sempre carinhosas, viu??

Sabe, tenho convênio também, mas no início do ano, quando todos em casa ficamos com pneumonia, acabei levando primeiro a Aninha no hospital público e pasmem: fomos atendidas rápido e o problema foi solucionado na mesma rapidez, ou seja, tomou logo uma benzetacil por lá mesmo.
No convênio, que naquele dia estava sem pediatra (acredite, foi isso mesmo)certamente teria um monte de crianças na frente, pq tá sempre lotado, eu sairia com receitas de remédios, gastaria e teria que esperar dias até a melhora da filhota.
Não tive dúvidas, quando eu e filhote ficamos ruins, corri pro Sus.
Pena que não são todos os hospitais, mas tem alguns que se salvam.
Ainda bem que vcs encontraram um aí na sua cidade.
Beijos.

Andrea - mãe da Ana

Um brasileiro disse...

Ola. Tudo blz? Estive por aqui. Teve sorte. Apareça por la. Abraços.

Nane Cabral disse...

Olá Cucla, ainda bem que existem médicos de verdade ainda,é raro, mas existem. Sei que vai dar tudo certo para sua mãe, rezo para isso. Beijos, Nane www.vovoqueensinou.blogspot.com

Clau disse...

Boa tarde Cucla!
Eu também fico desapontada com algumas coisas que acontecem em nosso convênio médico.
Semana passada,meu pai foi levado ao pronto socorro do Hospital Modelo,com crise de asma.E como era madrugada,o médico que o atendeu não sabia se bocejava,equilibrava a caneta entre os dedos,ou atendia.
Mal educado,mal humorado, mal preparado.Simplesmente horrível.Nenhum ser humano merece um atendimento daqueles.
E qto ao Hospital Regional,também me surpreendi positivamente.
Há alguns meses,minha mãe está tomando um medicamento,e eu recorri a farmácia existente lá,(onde é fornecido os chamados medicamentos de alto custo).Para minha surpresa,os funcionários são educados,e atendem a gente no horário marcado.
Enfim,um atendimento humanizado,(como deveria ser todo o SUS).
Sua mãe está em boas mãos!
Abraço!

Mi disse...

Cluca eu acho que a grande diferença quem faz mesmo é o profissional, se temos que aguardar 04 horas e no fim das contas somos acolhidos e bem atendidos, saímos melhor do que se tivéssemos ficado esperando 15 minutos e sermos atendidos em 05 sem sequer ser olhado no rosto. Mas bons ou mal profissionais tem em todos os lugares.
Como eu disse no meu post cada qual é responspável por aquilo que cativas.
Outro dia atrás, uma senhora chegou a esperar por 03 horas porque desejava ser atendida por mim enquanto minha colega havia se disponibilizado a tendê-la na hora que chegou - mas a cativei 04 anos atrás, então ela precisava de alguém em quem confiar e preferiu esperar. Não sei se fiz melhor do que outra pessoa faria, provavelmente não, mas a acolhi, olhei nos olhos, e dispensei todo o tempo que ela precisava, isso faz a diferença, não faz?
Cucla da Welze, como a filha de uma anja poderia não ter curtido o livro O pequeno príncipe? rsrsrs
Obrigada por ser recado, volte sempre. Bjs

Tatiana disse...

Eu acho que o SUS tem tudo para ser bom. Mas precisa realmente ter pessoas que queiram trabalhar e façam o seu trabalho com carinho e amor.
Quando eu precisei dos serviços do SUS eu também não tive do que reclamar, coisa que já não posso dizer o mesmo do meu Plano de Saúde uma vez que muitos médicos não são atenciosos.

Mas é o que eu digo: Nesse mundo existem pessoas e PESSOAS!!!

Um abraço carinhoso

Nikita Roraima disse...

Oi Cucla, prazer em conhecê-la. Sua mãe deixou um comentário no blog da Silvia Nunes e eu na curiosidade vim conhecer seu espaço. Li essa sua postagem do SUS e achei muito interessante. Pq isso mostra que não podemos generalizar nada mesmo. Pois todo mundo diz que a saúde no Brasil é péssima e nem sempre é. Eu moro no Suriname e aqui funciona da seguinte forma, todo mundo tem que ter plano de saúde. Não existe atendimento público nenhum. Remédios só com receita e receita só consultando um médico e pagando. Na verdade de graça vc não tem nada aqui. O atendimento é muito bom e tudo funciona, a base de dinheiro. No Brasil, mesmo que às vezes tudo seja péssimo, ainda temos onde recorrer quando não podemos pagar um plano de saúde, que muita gente não pode. Espero que vc e sua mãe estejam bem. Bjokitas