segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Uma saudade que vem dentro do peito

Uma grande saudade que vem dentro do peito.




Impressionante como a ausência física de nosso amor pode fazer-nos importar-nos muito mais do que realmente percebemos no dia a dia de nossa convivência.



Essa noite, foi difícil pregar o olho, senti muita falta de seu corpo ao lado, de nossas pernas enroscadas e nossos habituais desejos de boa noite, como sempre fazemos.



Senti falta de passarmos, ontem, um dia ocioso juntos.



De contemplarmos o nosso silencio.



De brigarmos pelo controle remoto e até mesmo de ficarmos no impasse de: “ainda é cedo para ir para a cama” sempre diz ele, e eu: “ estou exausta, quero dormir".



Não sei como elas conseguem, e admiro muito quem tem seus companheiros viajando sempre por esse mundão a fora, muitas vezes sem data ou hora para voltar.



Gosto de ter meu querido por perto, de termos nossas rotinas diárias, de termos o nosso horariozinho fixo e determinado para nos encontrarmos.



Mas, como dizem alguns, saudade é bom, aumenta o amor, o desejo, a cumplicidade. Traz novidade ao marasmo, traz novos ares para os amores já semeados.



Estou com muita saudade do meu lindo, mas dentro em breve ele estará de volta, lindo e lindo como foi.

Nenhum comentário: