quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Internet Discada coisa do passado...agora é na escada mesmo

Faz um tempão que não apareço por aqui e olha que no final do ano havia prometido a mim mesma que postaria diariamente.


Ainda bem que são só 13 postagens para traz que eu deixei.

Mas vamos lá, a pedidos de pessoas especiais, vou contar uma historinha que nos aconteceu.

Sou da época que quase todo mundo já tinha internet em casa há muito tempo, mas era a tal discada, que demorava séculos para entrar em qualquer lugar, e ai daquele que desejasse navegar em mais de uma página ao mesmo tempo, ai é que tudo travava mesmo.

E era um tal de reiniciar o computador que dava até dó do equipamento.

Mas ainda bem que essas tais de "Comunicação Computadorestica e Internautica", evoluíram com uma velocidade que é uma loucura.

Cada dia que passa é um tal de lançar computador novo, mais potente, telefone que nem é mais telefone, é quase uma coisa que anda, fala e têm desejos únicos e exclusivos e para acompanhar tudo isso, a Internet evoluiu.

Hoje a gente consegue abrir mil e uma janelas juntas, fazer várias coisas ao mesmo tempo. Claro que a gente ainda continua pensando com uma única cabeça e de vez em quando conversa com um achando que é outro, simplesmente porque esqueceu de mudar a janela, que delicia de modernidade.

Só que venho de uma família que nunca ligou muito para essas coisas não.

Quando já era indispensável o tal do microondas, na minha casa de mamãe não tinha e não tem até hoje, quando todo mundo tinha computador, a gente nem se importava em não tê-lo.

Na casa da mamãe só foi ter computador quando na faculdade as coisas ficaram difíceis, pois eu precisava passar horas nos laboratórios para conseguir fazer qualquer coisinha, então, comprei o tal do "parceiro", mas resisti à internet.

Algum tempo depois, veio a tal Internet Discada para a minha casa. Essa era aquela que se conectava pela linha telefônica, ou bem usava o telefone ou bem usava a Internet, não era possível ter os serviços simultâneos.

Como a gente não conhecia outra melhor, topava numa boa toda aquela demora, lixava a unha, fazia anotações na agenda à caneta mesmo.

Amo a evolução, adoro poder abrir várias janelas, fazer diversas consultas ao mesmo tempo, vez ou outra ainda mando mensagem de um para outro, fazer o que, a cabeça ainda continua uma só.

Casei, mudei, mamãe ficou com o meu computador e juro que eu não imaginava que ela fosse gostar tanto. Ela mesma deu um jeito de arrumar uma internet melhor, se virou para aprender a mexer no computador e hoje em dia faz mil coisas pela Internet. Tem um blog maravilhoso www.gostosurassemtravessura.blogspot.com, alias ela foi minha grande incentivadora para que eu voltasse a escrever.

Como trabalho o dia todo com computador, nunca senti necessidade de tê-lo em minha casa. Meu marido também usava o do trabalho. Mas algumas coisas mudaram e sentimos necessidade dessa ferramenta nesse atual momento que estamos vivendo.

E foi num belo dia que estávamos passeando pelo shopping, que um “Ser Humano” de uma empresa de telefonia jogou o maior xaveco no meu marido para que ele aderisse ao plano, telefone + internet + velocidade e afins.

Minha sorte era que a tal promoção terminava aquele dia e nós ficamos horas esperando no quiosque, detalhe, nos shoppings da minha cidade é proibido que esse tipo de ponto comercial tenha banco, e eu com o meu sapatinho lindo estávamos com os pés destruídos de tanto ficar em pé, logo, com toda a minha lábia, e depois que o shopping fechou, convenci a gerente a me arrumar um lugar para sentar. Foi hilário.

Meu marido parecia que estava com um brinquedinho novo, saiu feliz e contente e eu com os pés doendo.

O mais legal, foi que a tal da empresa nos disse que podia ser que o tal modem não pegasse no nosso bairro, mesmo assim, meu marido quis por que quis.

Alem de ficarmos até de madrugada tentando instalar o tal do negocio no laptop, porque todo mundo diz, é só plugar que já está no ar, e bem descobrimos que não é bem assim, mas meu excelentíssimo não desistiu, foi dormir mega tarde, mas instalou o danado.

No dia seguinte, a bonita aqui saiu para trabalhar e quando voltei, o Lindo, estava sentado no degrau da escada, com o computador no degrau de cima e me disse todo feliz:

- Linda você não imagina como pega bem o sinal da Internet aqui?!

De cara, achei mega engraçado, mas é que eu não contava com o que estava por vir.

Fiz a janta e fui dar uma fuçadinha no novo companheiro de casa, e bem elegante, sentei igual criança, coloquei os dois pés no vão do degrau. Detalhe, minha escada não tem corrimão e os degraus são de madeira.

Estava tudo maravilhoso, naquela cena no mínimo engraçada, mas como boa brasileira que sou, me adapto fácil fácil.

Quando me cansei e quis sair dali, foi ai que a escada me pegou, simplesmente entalei, e estava se não me engano no oitavo ou nono degrau.

Eis que fiquei apavorada, pois não conseguia sair dali.

Ainda bem que o meu querido super marido atendeu aos meus apelos, e lógico que se matando de rir, me regatou e me tirou arrastada do lugar, Foi no mínimo uma situação que vai ficar para a posteridade.

Lá em casa a internet não é discada não, é modernérrima, mas é na escada.....bjo

2 comentários:

welze disse...

oi cucla, não sei se dei mais risada quando você contou pessoalmente ou agora lendo aqui. Imagino o Vi, carregando você por trás, envolvendo seu peito e puxando vc para lhe desentalar. É de chorar de rir. E o pior é que tudo isso, em uma escada. Delícia.

Leci Irene disse...

KKKKKK... essa é boa mesmo! Ficará para a posteridade!!!!!!!
beijos