sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Primeiro Ano

Há exatamente um ano, nessa mesma época estava eu louca finalizando os detalhes para meu casamento, que foi em 05 de dezembro de 2008.


Queria passar meu aniversário em lua de mel, e foi i que aconteceu, meu aniversário é dia 08 de dezembro, ah, e também queria casar antes dos 28.

Fui uma louca, alias, eu e meu marido fomos.

Seguimos as tradições, só chamei meu marido de "marido", no minuto seguinte a termos assinado nosso "contrato de vida".

Fazíamos e fazemos questão até hoje do casamento no papel, coisa tão tradicional, mas que nos dias de hoje muita gente, por opção, deixa de lado.

Queria ter sobrenome, ser chamada de esposa, assim como ter os benefícios de contrato de prestação de serviço, como plano de saúde e remuneração por cuidar tão bem dele, brincadeirinha.

Com tudo isso, ele se tornou meu companheiro de vida e sonhos.

Que sensação indescritível, ou quase descritível sentimos.

Já morávamos juntos, mas esse fato não nos deixou menos ansiosos.

Só conseguimos dormir na véspera do casamento porque estávamos exaustos.

Acordei com uma querida amiga nos desejando bom casamento, fui tomar banho gritando:

- Vamos casar, vamos casar!!!!

Foi simplesmente demais.

Arrumar-me foi demais.

Minha ultima refeição de solteira ter sido Mac, foi demais

Nossa roupa foi demais, nos casamos vestidos de anos 60.

A festa foi simplesmente maravilhosa.

As pessoas estavam maravilhosas.

E nesse primeiro ano de casados muita coisa aconteceu. Ampliamos a intimidade e a confidencia.

Aprendemos com a convivência a viver um para o outro.

Foi difícil no inicio, alias, imagino eu que a fase mais difícil do casamento seja o primeiro ano.

Ano em que o parceiro descobre e vê que a gente realmente demora mais horas do que ele estava acostumado a ver para se arrumar.

Descobre que fazer um jantar maravilhoso, fatidicamente vai nos deixar com cheiro de alho e cebola nas mãos.

Descobre que tem dia que a gente quer ficar no nosso mundo, e que esse mundo é privado e que isso não é traição, é individualidade.

Descobre o som de um olhar apaixonado, no meio de tanta coisa que o dia a dia nos impõe.

Descobrem que precisa cultivar ainda mais o tesão, o amor e a paixão, porque o medo de não dar conta de cuidar de tudo pode minar esse sentimento.

Descobre que essa pessoa que vive com você se torna sem que a gente perceba a pessoa para quem a gente mais de doa.

Ai ai, são tantas descobertas, são tantos prazeres, que eu passaria a manha toda escrevendo.

Para encerrar, tenho certeza que essa escolha, esse homem, foi o melhor presente que Deus pode me dar, foi a decisão mais consciente que tomei em toda a minha vida. E olha que sou uma mulher de tomar grandes decisões.

Que esse seja só o primeiro ano de casado, que seja só o primeiro de nossa eternidade.






2 comentários:

welze disse...

que susto. passsou tão rápido. ainda ontem mesmo, me jogava na sua cama, nos fins de semana para lhe acordar, para tomarmos juntas um café da manhã "de hotel", com tudo que a gente tem direito. mas não estou nem melancólica, pois entrando no lugar comum, não perdi uma filha, mas ganhei um filho. Quem disse isso pela primeira vez, com certeza conhece o Victor. Deus nos abençoe a todos, continuem se respeitando, pois como sempre disse para vocês, a base de tudo é o respeito. Você vive com quem não ama, mas é impossível com quem não se respeita.

angela disse...

parabens, seja feliz hoje e sempre!